Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Abril, 2009

O filme What the bleep do we know, que chegou até mim através da casa Índigo com o nome de Quem somos nós?, após um enorme sucesso boca-a-boca pelo mundo afora. Esse é um daqueles filmes que não é para ser visto entre um compromisso e outro, ou com amigos e familiares a conversar consigo porque ele exige concentração e silêncio, exige atenção integral, e assim mesmo no fim vai querer repetir para ver se alguma coisa lhe escapou e entender melhor outras partes.

Abaixo colocarei alguns excertos do filme, para que vocês possam ter uma idéia do potencial revolucionário que ele traz para a nossa forma de encarar o mundo: Quanto mais se estuda a física quântica, mais misteriosa e fantástica ela se torna. A física quântica, falando de uma maneira bem simples, é uma física de possibilidades. São questões pertinentes de como o mundo se sente em relação a nós.

Se existe uma diferença entre o modo do mundo nos sentir e como ele realmente é. Já parou para pensar do que os pensamentos são feitos? Todas as épocas e gerações têm suas próprias suposições: O mundo é plano, o mundo é redondo, etc. Existem centenas de suposições que acreditamos ser verdadeiras, mas que podem ou não ser verdadeiras. Claro que historicamente, na maioria dos casos não eram verdadeiras.

Se tomarmos a história como guia, podemos presumir que muitas coisas em que acreditamos sobre o mundo podem ser falsas. Estamos presos à certos preceitos sem saber disso. São crenças que estão no nossos genes, que adquirimos com familia, amigos na escola enfim que ao longo de todas as nossas vidas e que estão registadas em nós. É um paradoxo O materialismo moderno tira das pessoas a necessidade de se sentirem responsáveis, assim como a religião! Mas eu acho que se você levar a mecânica quântica a sério, verá que ela coloca a responsabilidade nas nossas mãos e não dá respostas claras e reconfortantes. Ela só diz que o mundo é muito grande e cheio de mistérios.

O mecanismo não é a resposta, mas não vou dizer qual é, pois vocês têm idade suficiente para tomarem suas decisões.Por que continuamos recriando a mesma realidade? A realidade das nossas vidas é e será aquilo que desejarmos.

Por que continuamos tendo os mesmos relacionamentos?

Porque não aprendemos que o Amor que está fora e tanto ansiamos é muito menor e menos puro que o que está dentro de nós, são ambos importantes mas o que está dentro esse será sempre real.

Por que continuamos tendo os mesmos empregos repetidamente? E insatisfeitos, infelizes e doentes…siga seu coração.

Nesse mar infinito de possibilidades que existem à nossa volta, por que continuamos recriando as mesmas realidades? Por medo do desconhecido, daquilo que não vimos, não sentimos, vemos e ouvimos, a vida é muito mais do que aquilo que vive aqui e agora ela é e será tudo aquilo que deseja.

O Universo conspira sempre a seu favor. Não é incrível existirem opções e potenciais que desconhecemos? Sim é mas estão a disposição de todos nós exigem esforço e dedicação. É possível estarmos tão condicionados à nossa rotina, tão condicionados à forma como criamos as nossas vidas, que compramos a idéia de que não temos controle algum? Pois é …é pura mentira quem controla a nossa vida somos nós, bom ou mau aquilo que vivenciamos e sentimos atraimos até nós. Fomos condicionados a crer que o mundo externo é mais real que o interno pura mentira aquilo que está dentro reflecte o que está fora e vice versa se nos deixarmos dominar pelos outros, pelos medos, pelas crenças.

Na ciência moderna é justamente o contrário. Ela diz que o que acontece dentro de nós é que vai criar o que acontece fora. Existe uma realidade física que é absolutamente sólida, mas só começa a existir quando colide com outro pedaço de realidade física. Esse outro pedaço pode ser a gente, claro que somos parte desse momento, mas não precisa necessariamente ser. Pode ser uma pedra que venha voando e interaja com toda a confusão em que vivemos, provocando um estado particular de existência. Filósofos no passado diziam: “Se eu chutar uma pedra e machucar meu dedo, é real. Estou sentindo, é vívido.”

Quer dizer que é a realidade. Mas não passa de uma experiência, e é a percepção dessa pessoa do que é real. Aquilo que nos experenciamos em cada situação e aquilo que sentimos é que dá ou não enfoque a esse momento. Experimentos científicos nos mostram que se conectarmos o cérebro de um pessoa a computadores e scanners e pedirmos para olharem para determinados objetos, podemos ver que certas partes do cérebro sendo ativadas.

Se pedirmos para fecharem os olhos e imaginarem o mesmo objeto, as mesmas áreas do cérebro se ativarão, como se estivessem vendo os objetos. Então os cientistas se perguntam: quem vê os objetos, o cérebro ou os olhos? O que é a realidade? É o que vemos com nosso cérebro? Ou é o que vemos com nossos olhos? A verdade é que o cérebro não sabe a diferença entre o que vê no ambiente e o que se lembra, pois os mesmos neurônios são ativados, daí a importância da sua capacidade de visualização criativa. Imagine, sonhe e essa será a sua realidade pode demorar m dia, uma semana, um mês, um ano mas valerá a pena. Então devemos nos questionar, o que é realidade? Somos bombardeados por grandes quantidades de informação que, quando entram no seu corpo, são processadas pelos seus órgãos sensoriais, e a cada passo partes da informação vão sendo descartadas. O que finalmente chega na consciência é o que serve mais a cada pessoa.

O cérebro processa 400 bilhões de bits de informação por segundo, mas só tomamos conhecimento de 2.000 bits. E esses 2.000 bits são sobre o que está ao nosso redor, nosso corpo e o tempo. Vivemos em um mundo onde só enxergamos a ponta do iceberg. Isso significa que a realidade está acontecendo a todo momento no cérebro, mas nós não a absorvemos. Os olhos são como lentes, mas o que realmente estamos a ver é a parte de trás do cérebro. É o córtex visual, igual a essa câmera.Você sabia que o cérebro imprime o que ele vê? Por exemplo: essa câmera de vídeo está vendo muito mais ao meu redor do que o que está aqui, porque ela não faz objeções ou julgamentos. O filme que está passando no cérebro é do que temos habilidade para ver.

É possível que nosso olhos, nossa câmera, enxergue mais do que o nosso cérebro tenha a habilidade de conscientemente projetar? Da forma que nosso cérebro funciona, só conseguimos ver o que acreditamos ser possível de visualizar…imagina que acredita que vê auras com o tempo isso poderá acontecer quer esteja de olhos abertos ou fechados. Os padrões de associação já existem dentro de nós através de um condicionamento que trazemos assim que encarnamos neste mundo e de vidas passadas quer acredite nisto ou não.

Uma história incrível, que acredito ser verdadeira, conta que quando os índios americanos nas actuais ilhas das caribias viram as naus de Colombo a aproximarem-se, na verdade eles não conseguiam ver nada, pois não eram parecidas com nada que tivessem visto antes e portanto não terão sido registado pelo cerebro. Quando Colombo chegou no Caribe, nenhum nativo conseguia enxergar os navios, mesmo estando eles no horizonte. A razão de não verem os navios era porque não tinham conhecimento. Seus cérebros não tinham experienciado o facto de existiam navios e que andavam sobre o mar. O shamã começa a notar ondulações no Oceano, porque eles tem um boa percepção do que ocorre na natureza. Mesmo não vendo os navios, imagina o que está causando aquilo. Então ele começa a olhar todos os dias e depois de um certo tempo, ele consegue ver os navios. E quando ele enxerga os navios, conta para todos que existem navios lá. Como todos confiavam e acreditavam nele, porque na altura era o “orgão máximo” por assim dizer, também eles ao cheguerem lá conseguiram ver.

Nós criamos a realidade, mas criamos máquinas que produzem realidade que afetam a realidade o tempo todo. Sempre perseguimos algo refletido no espelho da memória. Se estamos ou não vivendo em um grande mundo virtual, é uma pergunta sem uma boa resposta, é um grande problema filosófico. E temos que lidar com ele conforme o que a ciência diz do nosso mundo. Como somos sempre observadores na ciência, ficamos limitados ao que o cérebro humano capta. É a única forma de vermos e percebermos as coisas que fazemos. Então é possível que isso tudo seja uma grande ilusão da qual não conseguimos sair para ver a verdadeira realidade.Seu cérebro não sabe distinguir o que está acontecendo lá fora do que acontece aqui dentro.

Não existe o “lá fora” independente do que está acontecendo aqui dentro, mas se nos capacitarmos daquilo que são nossas emoções como nos sentimos e vivemos podemos mudar tudo. Inicialmente vamos falar do mundo sub-atômico, e depois do que nos falam ser a realidade. A primeira coisa é que o mundo sub-atômico é uma fantasia criada por físicos “loucos” que tentam entender o que diabos acontece quando fazem pequenas experiências com grandes energias em pequenos espaços e em curtos espaços de tempo. As coisas ficam bem inexplicáveis.

A física sub-atômica foi inventada para tentar desvendar tudo isso…será. A nova ciência – chamada física quântica – é sujeita a todo tipo de hipóteses, pensamentos, sentimentos, intuições, para se descobrir o que diabos está acontecendo connosco aqui e agora. A matéria não é o que pensávamos ser Os cientistas viam a matéria como algo estático e previsível. As partículas ocupam um espaço insignificante nas moléculas e átomos. São partículas fundamentais. O resto é o vácuo. Parece que essas partículas aparecem e desaparecem o tempo todo.

Para onde vão quando não estão aqui? Essa pergunta é complicada. Vou dar duas respostas: Nº 1: Vão para universos alternativos, onde as pessoas fazem a mesma pergunta quando elas somem e vêm pra cá: “Para onde elas foram?” A outra envolve o grande mistério da direção do tempo. De uma certa forma, as ossas leis fundamentais da física não fazem distinção entre passado e futuro. Temos um quebra-cabeça do ponto de vista das leis da física. Por que nós somos capazes de lembrar do passado, e não temos o mesmo acesso epistemológico ao futuro?

Por que devemos pensar que nossas ações no presente afetam o futuro mas não o passado? O fato de termos um diferente acesso epistemológico para o passado e futuro, o controle que nossas ações têm sobre o futuro mas não sobre o passado, tudo isso é tão fundamental para o modo como sentimos o mundo, que não termos curiosidade sobre isso é quase o mesmo que estarmos mortos! Na verdade a maior parte do universo está vazia. Gostamos de imaginar o espaço vazio e a matéria sólida, mas, na verdade, não tem nada na matéria, ela não possui substância!

Veja um átomo. Pensamos que é uma bola sólida. Mas na verdade é esse pontinho pequeno com matéria densa no centro, cercado por uma nuvem de elétrons que aparecem e desaparecem. Mas acontece que tal descrição também não está correta. Até o núcleo, que pensávamos ser tão denso, aparece e desaparece assim como os elétrons. A coisa mais sólida que pode existir nessa matéria desprovida de substância é um pensamento, um bit de informação concentrada. O que faz as coisas são idéias, conceitos e informação. Você nunca toca em nada.

Os eléctron criam uma carga que afasta os outros eléctron antes do toque. Ninguém toca em nada Cabe aqui um parêntese para que o leitor entenda melhor os pilares da física quântica. Por isso, reproduzo parte do livro Percepção e Consciência: “Os elementos atómicos, a luz e outras formas electromagnéticas têm um comportamento dual – ora se comportam como se fossem constituídos por partículas, ora agem como se fossem ondas que se expandem em todas as direcções. E, ainda mais estranho, a natureza do comportamento observado era estabelecida pela expectativa expressa no experimento a que estavam sujeitos: onde se esperava encontrar partículas, lá estavam elas, da mesma forma como ocorria onde se esperava encontrar a onda. Era como se o esperado se reflectisse na experiência. Como se poderia conciliar o fato de que uma coisa podia ser duas ao mesmo tempo, e como manter a objectividade se o tipo de experimento, e consequentemente a expectativa do esperado, pareciam determinar um ou outro comportamento experimental? A solução foi dada por Niels Bohr ao elaborar o princípio da complementaridade. Ele estabelece que, embora mutuamente concludentes num dado instante, os dois comportamentos são igualmente necessários para a compreensão e a descrição dos fenómenos atómicos. O paradoxo é necessário. Ele aceita a discrepância lógica entre os dois aspectos extremos, mas igualmente complemetares para uma descrição exaustiva de um fenómeno. No domínio do quantum não se pode ter uma objectividade completa… Assim, mais um pilar newtoniano-cartesiano, o mais básico, talvez: não se pode mais crer num universo determinístico, mecânico, no sentido clássico do termo.

A nível subatômico não podemos afirmar que exista matéria em lugares definidos do espaço, mas que existem ‘tendências a existir’, e os eventos têm ‘tendências a ocorrer’. É este o Princípio da Incerteza de Heisenberg.” Uma partícula, que pensamos ser algo sólido, existe no que chamamos de superposição, espalhando uma onda de possíveis localizações, todas ao mesmo tempo. E quando você olha, ela passa a estar em apenas uma das possíveis posições. O mundo tem várias formas de realidade em potencial, até você escolher a que quer.

Pode-se estar em muitos lugares ao mesmo tempo, experimentando várias ossibilidades, até elas convergirem para apenas uma. Como um objeto pode ter dois estados ao mesmo tempo?Em vez de pensarmos nas coisas como possibilidades, temos o hábito de pensar que as coisas que nos cercam já são objetos que existem sem a minha ontribuição, sem a minha escolha. Nós precisamos de banir essa forma de pensar; temos que reconhecer que até o mundo material que nos cerca – as cadeiras, as mesas, as salas, os tapetes – não são nada além de possíveis movimentos da consciência e energia.

E eu estou escolhendo momentos nesses movimentos para manifestar minha experiência atual. É algo radical que precisamos compreender, mas é muito difícil, pois achamos que o mundo já existe independente da minha experiência. Mas não é assim, e a física quântica é bem clara. O próprio Eisenberg, depois da descoberta da física quântica, disse que os átomos não são objetos, são tendências. Em vez de pensar em objetos, você deve pensar em possibilidades.Tudo é possibilidade subconscientemente! Agora você pode ver em inúmeros laboratórios pelos EUA objetcos que são suficientemente grandes para serem vistos a olho nu, e que estão em dois lugares simultaneamente. Pode-se até tirar uma foto disto.

Suponho que se você mostrasse essa foto, as pessoas diriam “Ok, posso ver essa luz colorida, um pouco ali, um pouco aqui… é a foto de dois pontinhos, o que tem demais? Estou vendo duas coisas.” Não! É uma coisa só, em dois lugares ao mesmo tempo! Acho que as pessoas não se impressionariam, pois acho que elas não iriam acreditar sequer nessa possibilidade. Não que digam que sou mentirosa, ou que os cientistas estão confusos. Acho que tão misterioso que não dá para compreender o quão fantástico é e pode ser se nos capacitarmos disso. Todos viram Jornada nas Estrelas e o tele-transporte, então se perguntam “Mas e daí, o que isso quer dizer?” Mas temos que parar e pensar no que isso realmente significa.

É o mesmo objeto e ele está em dois lugares ao mesmo tempo! Em quantas dimensões estamos nós mesmos, em quantas podemos estar? As pessoas trabalham, se aborrecem, almoçam, vão para casa e vivem a vida como se nada de especial estivesse acontecendo, porque foi assim que se habituaram a viver, que viram seus Pais fazer, seus Avós e não conseguem ver que a vida é mágica e muito mais que isso tudo que esta a nosa frente.

A física quântica calcula apenas possibilidades. Mas se aceitarmos isso, a questão passa a ser: que escolha temos que fazer dentre as possibilidades para iniciarmos o evento da experiência? Então vemos concretamente que a consciência tem que estar envolvida. Imagine que tem uma decisão a tomar se se sentar um pouco respirar fundo e pensar nas hipoteses que tem em consciência não irá receber uma resposta de qual o caminho que deve seguir mas as suas emoções e aquilo que sentir quando visualiza a si mesma a fazer isso essa emoção que ira receber é que lhe vai dizer qual o caminho que deve seguir pode ser bom ou mau mas é necessa´rio a sua evolução.

O observador não pode ser ignorado Sabemos o que um observador faz no ponto de vista da física quântica, mas não sabemos quem e o que o observador é na verdade.Temos tentado encontrar uma resposta. Entramos na mente, usando todos os recursos que temos para acharmos algo que possa ser o observador. Mas não achamos nada no cérebro. Nada na região do córtex. Nada no subcórtex. Não identificamos um observador lá. Mas mesmo assim temos a sensação de sermos tais observadores, observando o mundo lá fora.Seria esse o observador? Nós somos observadores internos e externos.

E por que é tão complicado entender esse mundo louco e estranho de partículas quânticas e o modo como reagem? Esse seria então o observador? Para mim o observador é o espírito ou o Eu Superior que é nada mais nada menos que a minha metade mais consciencte, pura e equilibrada É a consciência que está dirigindo meu corpo fisico. Washington D.C. Chamada de “a capital do mundo em assassinatos, morte e/ou crimes”, essa cidade recebeu um grande experimento no verão de 1993. Quatro mil voluntários vieram de 100 países para uma meditação coletiva durante longos períodos do dia. Segundo o FBI, isso faria com que os crimes violentos caíssem em 25% naquele verão em Washington.

O chefe de polícia foi à televisão dizer que o crime só diminuiria em 25% se “nevasse no verão”. No final a polícia se tornou colaboradora e autora desse estudo, pois o resultado foi uma queda de 25% nos crimes em Washington. Isto poderia ser previsto com base em 48 estudos anteriores que já haviam sido feitos em menor escala. É algo que nos leva a imaginar que as pessoas estão afectando e muito a realidade que vemos e vivemos. Muitas pessoas não afectam a realidade de forma consistente porque não acreditam que possam. Elas escrevem uma intenção e depois a apagam, pois acham que é tolice. “Não consigo fazer isso” –isto meus amigos não somos nós é EGO.

Escrevem de novo e apagam. Isso tem um efeito muito pequeno, pois elas não acreditam que possam fazer isso.- MAS PODEM Se você acreditar com todo seu ser que pode andar sobre a água, isso acontecerá. Se você acreditar no que quer que seja que possa fazer todo Universo conspira sempre a seu fazer e portanto será uma realidade. É como pensamento positivo, que é um conceito maravilhoso.

Mas geralmente temos uma névoa de pensamento positivo, cobrindo uma enorme massa de pensamento negativo….o que fazer é insistir e insistir ate que esta totalmente coberto e não seja mais uma nuvem. Pensar positivo apenas disfarça o nosso pensamento negativo. Quando pensamos em objetos, tornamos a realidade mais completa do que realmente ela é. É aí que você ficamos presos. Ficamos presos na uniformidade da realidade, pois se ela é completa eu sou insignificante, não posso alterá-la. Mas, se a realidade é minha possibilidade – possibilidade da própria consciência – imediatamente perguntamos como podemos alterá-la, torná-la melhor, mais alegre. É uma extensão da nossa imagem. Nos pensamentos antigos, não podíamos mudar nada, pois não tínhamos papel na realidade.

Ela já estava lá, feita de objetos que se moviam de acordo com leis. A matemática determinava como reagiriam em determinada situação. Nós não tínhamos papel algum. Na nova visão a matemática nos mostra as possibilidades das reações que os objetos podem ter, mas não nos dá a experiência real que teremos na consciência. Eu que escolho tal experiência: Dessa forma eu crio minha própria realidade. Pode parecer uma afirmação bombástica de alguém sem nenhum conhecimento de física, mas a física quântica está nos dizendo isto.

Existem literalmente diferentes mundos onde vivemos. Há o mundo microscópico que vemos, o mundo das nossas células, o mundo dos nossos átomos…

Eles possuem sua própria linguagem, sua própria matemática. E não são apenas pequenos como muitos de nós imaginamos. Cada um é totalmente diferente, mas se complementam, pois eu sou meus átomos, mas também sou minhas células. A minha fisiologia microscópica é verdadeira, só que em diferentes níveis.

O nível de verdade mais profundo, descoberto pela ciência e filosofia, é a verdade fundamental da unidade. SOMOS TODOS UM

No nível sub nuclear mais profundo da nossa realidade, você e eu somos um só.

Pensem bem nisto..bom fim de semana

Muita Paz Luz e Amor

Que SDL tragam toda a sabedoria necessária a sua evolução

Anúncios

Read Full Post »

Reiki e Florais de Bach são duas terapias energéticas que se combinam tão bem quanto arroz com batatas fritas para quem gosta claro. Muitos praticantes têm aplicado ambos os métodos conjuntamente com grande sucesso e eficácia. O objetivo deste artigo é compartilhar minha experiência  pessoal com esta maravilhosa combinação.

Geralmente, ao atendermos um cliente que venha em busca de um tratamento com Reiki, fazemos uma entrevista antes da primeira aplicação, visando conhecê-lo melhor, identificar as suas queixas e as suas expectativas relativamente a todo o processo de cura, o que espera ou não de nós isso é muito importante até para que possamos esclarecer alguns pontos.

Após esta entrevista, começamos a aplicação de Reiki. Na semana seguinte, o processo é refeito, com uma entrevista de acompanhamento – para identificar possíveis melhoras (ou não) da sua queixa – e uma nova aplicação. Este processo é excelente e muito eficaz. Entretanto, há um hiato – geralmente de uma semana – entre uma aplicação de Reiki e outra. O ideal seria que todos os dias a pessoa em tratamento tivesse uma forma de se equilibrar, a fim de maximizar os efeitos do tratamento. É aí que entram os Florais de Bach. Após a primeira entrevista e aplicação, o terapeuta pode identificar as essências florais adequadas à situação que seu cliente se encontra vivenciando na sua vida. Os florais são escolhidos levando-se em consideração, principalmente, seu momento de vida e como ele ou ela se sente em relação a ela (Com medo? Com raiva? Angustiado? Etc…). florais

Em seguida, ao final da aplicação, o terapeuta pode fazer na hora um vidro com os florais e entregar ao seu cliente. Desta forma, o tratamento que começou com o Reiki no consultório continua durante a semana na casa do cliente com os florais, gerando benefícios maiores, contínuos e mais profundos. Para que a associação entre Reiki e Florais de Bach seja realmente bem-sucedida, os tratamentos devem ser harmônicos entre si. A forma ideal de fazer isso é utilizar-se as técnicas reikianas de tratamento mental/emocional para tratar os mesmos temas (ou temas relacionados ) para os quais os florais foram escolhidos. Assim, garante-se que o tratamento como um todo será bem focado, o que essencial para que gere os resultados esperados. Há um método auxiliar para se identificar os florais que devem ser indicados ao cliente que passa por um tratamento de Reiki. Todo reikiano experiente sabe que, durante uma aplicação, sentimos sensações nas mãos (que podem variar do calor ao frio, formigamento, dor, “alfinetadas”, vibração, enfim muitas mesmo) que nos indicam as áreas do corpo que necessitam da aplicação de energia. Esta é uma técnica chamada no Reiki Tradicional Japonês de byosen. O byosen pode indicar não apenas que áreas do corpo físico necessitam de energia, mas também pode ajudar que o terapeuta receba insights das emoções e pensamentos (ao menos, da qualidade/tipo destes) do cliente.

Isto não significa que o reikiano seja capaz de ler a  mente do paciente. Na realidade, o que ocorre é a criação de um elo empático, em que o reikiano é capaz de obter um entendimento intuitivo da vida interior do seu paciente. Este entendimento pode auxiliar – e em alguns casos, definir – quais Florais de Bach escolher para o cliente tomar entre uma aplicação de Reiki e outra. N

Muito resumidamente, esta é a forma como podemos associar estas duas terapias, com o objetivo de tratarmos de maneira eficaz bem busca a nossa ajuda terapêutica. Ou mesmo de fazermos o nosso auto-tratamento (se bem que, neste caso, precisamos ter uma honestidade conosco mesmos que nem sempre temos).

Acredito que haja outras formas de associá-las também porque cada terapeuta é um terapeuta.  Recomendo ainda o Rescue Creme para aplicação diaria na cara e/ou corpo principalmente nos chackras mais afectados minutos .

Se você já a usou e quiser compartilhar sua experiência comigo, pode me contactar através do meu e-mail: informacoesreiki@gmail.com.

Na minha experiência pessoal posso dizer que Reiki e Florais de Bach tem ajudado pessoas a curar-se de coisas que antes eram impensaveis para elas, tem havido muito gente com depressão que ao fim de algum tempo deixat a medicação quimica na totalidade conseguindo levar uma vida normal e muitas outras coisas que poderia aqui inumerar

Muita Paz Amor e Luz

Read Full Post »

Você é um MILAGRE!
Nós, seres humanos, não somos nada menos do que um milagre. Pode haver momentos em que nos sentimos inúteis. Mas não somos nada menos do que um milagre. O fato de estarmos aqui, vivos e capazes de inspirar e expirar, é prova mais do que suficiente de que somos um milagre. Uma simples laranja traz dentro de si todo o cosmo: a luz do sol, a chuva, a Terra, o tempo, o espaço e a consciência. Nós também abrigamos todo o cosmo.
Encerramos o Reino de Deus, a Terra Pura do Buda, em cada célula do nosso corpo. Se soubermos como viver, o Reino de Deus se manifestará para nós no aqui e agora – com um único passo, podemos penetrá-lo. Não precisamos morrer para entrar no Reino de Deus. Na verdade, temos que estar bem vivos. O inferno também está em cada célula do nosso corpo. Cabe a nós escolher. Se regarmos todos os dias a semente do inferno que existe em nós, será esta a realidade que viveremos 24 horas por dia. Mas se regarmos diariamente a semente do Reino de Deus que existe em nós, o Reino de Deus se tornará a realidade que viveremos em cada momento. Esta é a minha experiência.
Não existe um único dia em que eu não caminhe no Reino de Deus. Caso esteja neste lugar ou em qualquer outro, sou sempre capaz de andar com a mente desperta. O solo debaixo dos meus pés é sempre a Terra Pura do Buda. Ninguém pode tirar isso de mim. Na minha opinião, o Reino de Deus é agora ou nunca. Ele não está situado no tempo ou no espaço. Ele está no nosso coração. Todos nós precisamos desenvolver o andar consciente e tocar a Terra como se ela fosse um milagre. Se soubermos como voltar para o aqui e agora, se soubermos como tocar o Reino de Deus em cada célula de nosso corpo, ele se manifestará para nós de imediato, no aqui e agora.

Extraído do livro: Sinta-se livre onde você estiver, do autor Thich Nhat Hanh.

Read Full Post »

Para quem não sabe a Terra é um planeta considerado de 3ª dimensão ao chegarmos ao nosso Planeta perdemos a nossa memória cósmica própria de Seres de Luz que cada um de nós somos. Ao ingressarmos neste planeta é como mergulharmos num mundo de esquecimento e a densidade é tão grande para nós Seres de Luz nos reagimos apenas pelo sistema em que estamos.Perdemos assim toda a informação que temos sempre connosco como as nossas Origens, as nossas vidas passadas, nosso Karma.

Quantos de vocês não sentem um vazio dentro de vocês, quantos de nós nos sentimos preenchidos junto ao mar, ou estudam civilizações antigas, ou tantos outras coisas que nos atraem tanto isso revela partes de nós que ficaram noutras vidas . Mergulhar no Passado e em vidas passadas é possível através da meditação e regressão a vidas passadas, muitos de nós após a iniciação em Reiki muitos de nós consegue acesso a essas informações que nos preenchem porque realmente fazem parte de nós.

Mas quero salientar uma coisa muito importante todos temos de aprender a Viver AQUI E AGORA o passado serve apenas para nos reencontrarmos, não podemos mais continuar a viver no passado nem no futuro, porque o passado como nome indica já passou a única coisa que obtemos em continuar a pensar nele é apenas densidade e atraso a nossa evolução. O futuro a Deus pertence já diz o ditado como sabemos nós qual nosso futuro se não o construirmos no presente? no aqui e agora? Falta de tempo reclamamos nós…e eu digo sim talvez mas se pensarmos bem que metade de nós passa das 12 horas que está acordado metade do tempo focalizado no seu passado, no que lhe fizeram ou devia ter feito e no futuro como quer que ele seja e com isso se desviam de viver aqui e agora não estarei muito longe da verdade.

Está na hora de cada um de nós materializar seus sonhos aqueles que já tinhamos mesmo antes de encarnarmos Materializar e por em prática as nossa Missão de Vida, sermos felizes por inteiro, guiar-nos pelas nossas intuições e emoções, manifestar as mensagensa do nosso Eu Superior que é a nossa metade mas que ainda vive na Memória Cósmica e mais espectacular é que cada um de nós pode aceder a Ele cada vez que desejar porque Ele é parte integrante de cada um de Nós.

O Nosso Eu Superior como diz uma pessoa com quem aprendo sempre muito é nada mais nada menos do que a outra metade de mim, aquela metade da Laranja que todos procuramos não existe fora de nós mas sim dentro de nós é a Nossa metade inseparável de nós mesmo que vive mais acima de nós numa outra dimensão e com total acesso a memória cósmica de todas as nossas vidas, Eu Superior é a nossa Centelha Divina, é a parte de nós mais próxima de Deus, do Universo, é puro Amor e está em perfeita manisfestação permanentemente.

E agora surge uma dúvida mas se está lá permanentemente porque é que eu não Oiço, não vejo, não sinto é muito simples ele se manifesta no silêncio, na quietude interior e nós andamos tão ocupados a ocupar as nossas vidas e nosso tempo que deixamos de ter tempo para nos conectarmos com Ele , mas ele não desiste nunca de nós Oh não desenganem-se aqueles sonhos que temos que são tão reais pois é é Ele mesmo, a dar-nos informações do que presencear nas nossa vidas. Eu sei que o sonho foi horrivel mas pense bem que sentimento foi esse que ele despertou em si para além de medo, raiva e/ou ódio qual foi a emoção real traição, rejeição, abandono, impotência…isto não é mais do que situações que precisamos de resover nas nossas vidas para continuarmos a evoluir sempre.

Poder ouvir nosso Eu Superior digo-Vos é realmente muito bom, somos totalmente preenchidos pela sua Luz, pelo seu Amor Incondicional, pela Luz Divina pode ser um verdadeiro balsamo nas nossas vidas em situações dificeis.

Existem alguns exercicios como meditação onde nos podemos conectar com Ele, como ao acordar pedir sua ajuda e protecção, enfim as formas de conectarmos com Ele são muitas .

Eu recomendo como filme ” Além do Horizonte ” a imagem abaixo é desse mesmo filme deixem -se guiar e percebam as mensagens do filme.

Mensagem abaixo mencionada foi-me enviada por mail e enquadra-se perfeitamente neste tema:

Jim McAndrew, um amigo querido, fez a sua transição para os Reinos Internos da Luz em 20 de Fevereiro de 2009. No dia após a sua morte, eu recebi um belo e-mail, descrevendo a experiência de quase morte de outra pessoa. Esta informação é profunda, muito inspiradora, e confortante. Eu gostaria de compartilhar isto com vocês agora.

Enquanto vocês lêem estas palavras, interiorizem-se na Divindade do seu coração. Peçam a sua Presença EU SOU para que os ajude a seguir esta experiência de quase morte, como se vocês mesmos estivessem nesta jornada sagrada. Esta é verdadeiramente uma oportunidade de expansão da mente e de elevação da consciência para todos nós.


Ao expandirem este conhecimento sagrado através da Chama do seu Coração, vocês ancorarão esta profunda Verdade no Sistema Cristal de Grade da Terra e o expandirão através dos estratos mentais e emocionais do planeta. Esta sabedoria estará então tangivelmente disponível para as massas da Humanidade, e elevará toda a Vida na energia, vibração e consciência.

No meio do caos e da confusão que está surgindo para serem curados neste momento, esta informação será um presente poderoso de cura para TODA a Vida neste Planeta.

UMA JORNADA ATRAVÉS DA LUZ E A VOLTA

A História da Experiência de Quase Morte de Mellen-Thomas Benedict

Mellen-Thomas Benedict fala:

Em 1982 eu morri de câncer terminal. A condição que eu tinha era inoperável, e qualquer tipo de quimioterapia que eles pudessem me dar me teria feito mais do que um vegetal. Foi-me dado de seis a oito meses de vida.

Eu tive uma informação singular nos anos 70, e tinha me tornada cada vez mais desanimado em relação à crise nuclear, à crise da ecologia, e assim por diante. Assim, desde que eu não tinha uma base espiritual, comecei a acreditar que a natureza tinha feito um erro e que nós éramos provavelmente um organismo canceroso no planeta. Eu não via nenhum modo de sairmos de todos os problemas que tínhamos criado para nós mesmos e para o planeta. Eu percebia todos os humanos com câncer – e é isto o que eu adquiri.

Isto é o que me matou. Acautele-se de qual seja a sua visão do mundo. Isto pode realimentá-lo, especialmente se for uma visão negativa do mundo. Eu tinha uma visão seriamente negativa. É isto o que me levou para a morte. Eu tentei todos os tipos de métodos alternativos de cura, mas nada ajudou.

Assim eu determinei que isto fosse realmente apenas entre Deus e eu. Eu nunca tinha realmente me defrontado antes com Deus, ou mesmo interagido com Deus. Eu não estava em qualquer tipo de espiritualidade no momento, mas comecei uma jornada para aprender sobre a espiritualidade e a cura alternativa. Eu me determinei a fazer toda a leitura que pudesse e estudar muito o assunto, porque eu não queria ser surpreendido do outro lado. Assim eu comecei a ler sobre várias religiões e filosofias. Todas elas eram muito interessantes e davam a esperança de que havia algo do outro lado. Eu terminei sob os cuidados de uma enfermeira.

Eu me lembrei de acordar em uma manhã em casa, aproximadamente às 4:30 horas, e já sabia que era esta.

Este foi o dia em que eu morreria. Assim chamei alguns amigos e me despedi. Eu acordei a minha enfermeira e conversei com ela. Eu tinha um acordo privado com ela de que ela deixaria o meu corpo sozinho por seis horas, desde que eu tinha lido que todos os tipos de coisas interessantes acontecem quando você morre. Eu voltei para dormir.

A próxima coisa que eu me lembro é o início de uma típica experiência de quase morte. Subitamente eu fiquei plenamente consciente – e eu estava em pé, mas o meu corpo estava na cama. Havia esta escuridão ao meu redor. Estar fora do meu corpo era até mais vívido do que a experiência usual. Era tão vívido que eu poderia ver cada quarto na casa. Eu podia ver o alto da casa, eu podia ver ao redor da casa, eu podia ver embaixo da casa.

Havia esta Luz brilhando. Eu me virei em direção à Luz. A Luz era muito semelhante a que muitas outras pessoas descreveram em suas experiências de quase morte. Era tão magnífica! Ela é tangível: você pode senti-la. Ela é fascinante; você quer ir até ela como gostaria de ir aos braços do seu pai ou de sua mãe.

Quando eu comecei a me mover em direção à Luz, eu sabia intuitivamente que se eu fosse para a Luz, eu estaria morto. Assim, enquanto estava me movendo em direção à Luz, eu disse: “Por favor, espere um minuto; espere apenas um segundo aqui. Eu quero pensar sobre isto. Eu gostaria de conversar com você antes de ir”. Para a minha surpresa, toda a experiência parou neste ponto. Você está no controle de sua experiência de vida após a morte. Você não está em uma corrida na montanha russa.

Assim a minha solicitação foi honrada, e eu tive algumas conversas com a Luz. A Luz continuava mudando para diferentes figuras, como Jesus, Buda, Krishna, mandalas, imagens arquetípicas e signos. Eu perguntei à Luz: “O que está acontecendo aqui? Por favor, Luz, esclareça-me. Eu quero saber realmente a realidade da situação”. Eu não posso dizer realmente as palavras exatas, porque era como que uma telepatia.

A Luz respondeu. A informação a mim transferida era que durante a sua experiência de vida após a morte, as suas crenças configuram o tipo de resposta que você está obtendo diante da Luz. Se você era um Budista, Católico ou Fundamentalista, você obtém um tipo de resposta de sua própria religião ou filosofia. Você tem uma oportunidade de olhá-la e examiná-la, mas a maior parte das pessoas não o faz. Quando a Luz se revelou para mim, eu me conscientizei de que o que eu estava realmente vendo era a matriz do nosso Eu Superior.


Todos nós temos um Eu Superior, ou uma parte da alma suprema de nosso ser. Isto se revelou para mim em sua forma de energia mais verdadeira. O único modo que eu posso realmente descrever é que o Ser do Eu Superior é mais como um canal. Não parecia assim, mas é uma conexão direta com a Fonte que todos e cada um de nós tem. Nós estamos diretamente conectados com a Fonte. Assim a Luz estava me apresentando a matriz do Eu Superior. Eu não era comprometido com uma religião em particular. Assim isto é o que estava me sendo respondido durante a minha experiência de vida após a morte.

Quando eu pedi à Luz que continuasse me esclarecendo, me explicando, compreendi o que é a matriz do Eu Superior. Nós temos uma grade ao redor do planeta onde todos os Eus Superiores estão conectados.

Esta é como uma grande companhia, um próximo nível sutil de energia ao nosso redor, o nível espiritual vocês poderiam dizer. Então, após dois minutos, eu pedi mais esclarecimentos. Eu queria realmente saber do que se tratava o Universo, e estava preparado para ir neste momento. Eu disse: “Eu estou preparado. Leve-me”

Então a Luz se transformou na coisa mais maravilhosa que eu já vira: uma mandala de almas humanas neste planeta. Agora eu cheguei a isto com a minha visão negativa do que estava acontecendo no planeta. Assim, quando eu pedi à Luz que continuasse me esclarecendo, eu vi nesta magnífica mandala como todos nós somos belos em nossa essência, em nosso âmago. Nós somos as criações mais magníficas.


A alma humana, a matriz humana que todos fazemos juntos, é absolutamente fantástica, elegante, exótica, tudo. Eu não posso dizer o suficiente sobre como isto mudou a minha opinião dos Seres Humanos neste instante. Eu disse: “Oh, Deus, eu não sabia quão belos nós somos.” Em qualquer nível, elevado ou inferior, em qualquer forma em que estejamos, você é a mais bela criação.

As revelações vindas da Luz pareciam continuar mais e mais. Então eu perguntei à Luz: “Isto significa que a Humanidade será salva?” Então como um som de trombeta com uma abundância de luzes em espiral, A Magnífica Luz se expressou: “Lembre-se disto e nunca se esqueça: Você se salva, se redime e se cura. Você sempre o faz. Você sempre o fará. Você foi criado com o poder de fazer isto desde o início do mundo.”

Neste instante eu compreendi até mais. Eu compreendi que JÁ FOMOS SALVOS, e nos salvamos porque fomos designados a nos auto-corrigirmos como o resto do Universo de Deus. É disto que se trata a segunda vinda. Eu agradeci à Luz de Deus com todo o meu coração. A melhor coisa que eu pude fazer foram estas simples palavras de apreciação: “Oh, querido Deus, querido Universo, querido Eu Superior, eu Amo a Minha Vida.”

A Luz parecia me inspirar até mais profundamente. Era como se a Luz estivesse me absorvendo completamente. A Luz do Amor é, neste dia, indescritível. Eu entrei em outro reino, mais profundo do que o último e me conscientizei de algo mais, muito mais. Era um enorme fluxo de luz, vasto e pleno, profundo, no Centro da Vida. Eu perguntei o que isto era.

A Luz respondeu: “Este é o RIO DA VIDA. Beba desta água maná para a satisfação do seu coração.” Assim eu fiz. Eu dei um grande gole e então outro. Beber da própria Vida! Eu estava em êxtase.

Então a Luz disse: “Você tem um desejo.” A Luz sabia tudo sobre mim, tudo: passado, presente e futuro. “Sim!” eu sussurrei.

Eu pedi para ver o resto do Universo, além de nosso sistema solar, além de toda a ilusão humana. A Luz então me disse que eu poderia acompanhar o Fluxo. Eu assim fiz, e fui levado através da Luz, no final do túnel. Eu senti e ouvi uma série de sons muito suaves. Que ímpeto!

.
Subitamente pareceu que eu fui lançado para fora do planeta neste fluxo da Vida. Eu vi a Terra escapar. O sistema solar, em todo o seu esplendor, girou rapidamente e desapareceu. Mais rápido do que a velocidade da luz, eu voei através do centro da Galáxia, absorvendo mais conhecimento enquanto eu prosseguia. Eu aprendi que esta Galáxia, e todo o Universo, está repleto de muitas variedades diferentes de VIDA. Eu vi muitos mundos. A boa notícia é que não estamos sozinhos neste Universo!

Enquanto eu era conduzido neste fluxo da consciência, através do centro da Galáxia, o fluxo estava se expandindo em surpreendentes ondas de energia. Os grandes agrupamentos de Galáxias, com toda a sua antiga sabedoria, passavam velozmente. Inicialmente eu pensei estar indo para algum lugar, viajando realmente. Mas então eu compreendi que enquanto o fluxo estava se expandindo, a minha própria consciência estava também se expandindo para absorver tudo no Universo! Toda a criação passou por mim. Era um milagre inimaginável! Verdadeiramente eu era uma Criança Maravilhada, um bebê no País das Maravilhas!

Neste ponto, eu me encontrei em uma profunda tranqüilidade, além de todo o silêncio. Eu podia ver ou perceber ETERNAMENTE, além do Infinito.

Eu estava no Vazio.

Eu estava na pré-criação, antes do Big Bang. Eu tinha passado para o início do tempo/a Primeira Palavra/a Primeira Vibração. Eu estava no Olho da Criação. Eu senti como se estivesse tocando a Face de Deus. Não era um sentimento religioso. Simplesmente, eu era uno com a Vida Absoluta e a Consciência.

Quando eu digo que podia ver ou perceber eternamente, quero dizer que podia experienciar toda a criação se gerando. Era sem início e sem fim. Este é um pensamento da expansão da mente, não é?

Os cientistas percebem o Big Bang como um evento singular que criou o Universo. Eu vi durante a minha experiência de vida após a morte que o Big Bang é somente um de um número infinito de Big Bangs, criando Universos infinitamente e simultaneamente. As únicas imagens que até podem chegar perto em termos humanos seriam aquelas criadas por super computadores usando equações geométricas fractais.


Os antigos sabiam disto. Eles diziam que Deus tinha criado periodicamente novos Universos ao expirar e re-criou outros Universos ao inspirar. Estas eras eram chamadas de Yugas. A ciência moderna chamou a isto de Big Bang. Eu estava em absoluta e pura consciência. Eu podia ver ou perceber todos os Big Bangs ou Yugas criando e re-criando a si mesmos. Instantaneamente eu entrei em todos eles simultaneamente. Eu vi que todo e cada pequeno fragmento da criação têm o poder de criar. É muito difícil tentar explicar isto. Eu ainda estou atônito em relação a isto.

Foram necessários anos depois que retornei da minha experiência de quase morte para assimilar quaisquer palavras sob qualquer condição para a experiência do Vazio. Eu posso lhes dizer isto agora: O Vazio é menos do que nada, entretanto é mais do que tudo o que é! O Vazio é o zero absoluto, o caos formando todas as possibilidades. É a Consciência Absoluta, muito mais do que a Inteligência Universal.

O Vazio é o vácuo ou o nada entre todas as manifestações físicas. É o ESPAÇO entre os átomos e os seus componentes. A ciência moderna começou a estudar este espaço entre tudo. Eles o chamam de ponto Zero. Sempre que eles tentam avaliá-lo, os seus instrumentos disparam na escala, ou para o infinito, assim falando. Eles não têm nenhum meio de avaliar corretamente o infinito. Há mais do espaço zero em seu próprio corpo e o Universo de que qualquer outra coisa!

O que os místicos chamam de Vazio não é um vazio. Ele é tão cheio de energia, um tipo diferente de energia que criou tudo o que somos. Tudo, desde o Big Bang, é vibração, desde a primeira Palavra, que é a primeira vibração. O “EU SOU” bíblico tem um ponto de interrogação depois dele. “EU SOU – O QUE EU SOU?” Assim a criação é Deus explorando o Eu Divino através de cada modo imaginável, em uma exploração contínua, infinita, através de cada um de nós. Eu comecei a ver durante a minha experiência de quase-morte que tudo o que existe, é o Eu, literalmente o seu Eu, o meu Eu. Tudo é o grande Eu. É por isto que Deus sabe até quando uma folha cai. Isto é possível porque onde quer que vocês estejam é o centro do Universo. Onde qualquer átomo esteja, este é o centro do Universo. Há Deus nisto, e Deus no Vazio.

Enquanto eu estive explorando o Vazio durante a minha experiência de vida após a morte e todos os Yugas ou criações, eu estive completamente fora do tempo e espaço como os conhecemos. Neste estado expandido, eu descobri que a criação se refere à Consciência Pura Absoluta, ou Deus, vindo à Experiência da Vida como a conhecemos. O próprio Vazio é destituído de experiência. É a pré-vida, antes da primeira vibração. A Divindade se trata mais do que a Vida e a Morte. Portanto, há até mais do que Vida e Morte para experienciar no Universo!



Quando eu compreendi isto, eu concluíra com o Vazio e quis retornar a esta criação, ou Yuga. Parecia que era a coisa natural a fazer. Então subitamente eu voltei através da segunda Luz, ou o Big Bang, ouvindo mais e vários estrondos suaves. Eu viajei no fluxo da consciência novamente através de toda a criação, e que viagem foi! Os super agrupamentos de Galáxias passaram por mim com até mais insights. Eu passei através do centro de nossa Galáxia, que é um buraco negro. Os buracos negros são os grandes processadores ou recicladores do Universo.

Você sabem o que está do outro lado de um buraco negro? Nós estamos; a nossa Galáxia, que foi reprocessada de outro Universo. Em sua total configuração de energia, a Galáxia parecia uma fantástica cidade de luzes…. Toda a energia neste lado do Big Bang é Luz. Cada sub-átomo, átomo, estrela, planeta, até a própria consciência é feita de Luz e tem uma freqüência e/ou partícula. A vida é a coisa viva. Tudo é feito da Luz de Deus, tudo é muito inteligente.

Enquanto eu viajava mais e mais no fluxo, eu pude eventualmente ver uma Luz imensa vindo. Eu sabia que ela era a Primeira Luz; a Matriz de Luz do Eu Superior de nosso Sistema Solar. Então todo o Sistema Solar apareceu na Luz, acompanhado por um daqueles suaves estrondos.

Eu pude ver toda a energia que este Sistema Solar gera, e é um inacreditável show de Luz! Eu podia ouvir a Música das Esferas. Nosso Sistema Solar, como todos os corpos celestiais, gera uma matriz única de Luz, som e energias vibratórias. Civilizações avançadas de outros sistemas estelares podem localizar a Vida, pois a conhecemos no Universo pela matriz de energia ou vibratória impressa. É o jogo da criança. A criança maravilhosa da Terra (os Seres Humanos) fazem uma abundância de sons agora, como crianças que brincam no quintal do Universo.



A Luz me explicou que não há morte; nós somos Seres imortais. Nós estivemos eternamente vivos! Eu compreendi que somos parte de um sistema natural de vida que se recicla infinitamente. Nunca me foi dito que eu tinha que retornar. Eu sabia apenas que iria. Isto era natural, a partir do que eu tinha visto durante a minha experiência de vida após a morte

Eu não sei quanto tempo eu estive com a Luz, no tempo humano. Mas chegou um momento em que eu compreendi que todas as minhas questões tinham sido respondidas e o meu retorno estava próximo. Quando eu digo que todas as minhas questões foram respondidas do outro lado, eu quero dizer apenas isto. Todas as minhas questões foram respondidas. Cada humano tem uma vida diferente e uma série de questões para explorar. Algumas de suas questões são universais, mas cada um de nós está explorando esta coisa que chamamos de Vida de nosso próprio e único meio. Assim é cada outra forma de vida, das montanhas a cada folha em cada árvore.

Isto é muito importante para o resto de nós neste Universo. Porque tudo isto contribui com a Grande Cena, a plenitude da Vida. Nós somos literalmente Deus explorando o Eu Divino em uma Dança infinita da Vida. Sua singularidade intensifica toda a Vida.

Quando eu comecei o meu retorno ao ciclo da vida, nunca passou pela minha mente, nem me foi dito, que eu retornaria ao mesmo corpo. Isto já não importava. Eu tinha completa confiança na Luz e no processo da Vida. Enquanto o fluxo se fundia com a grande Luz, eu pedi para que nunca me esquecesse das revelações e dos sentimentos do que eu tinha aprendido do outro lado.

Havia um “Sim”. Parecia um beijo para a minha alma.

Então novamente eu fui levado de volta através da Luz, no reino vibratório. Todo o processo reverteu, até com mais informações me sendo dadas. Eu voltei para casa, e me foram dadas lições em minha experiência de quase morte da mecânica da reencarnação. Foram-me dadas respostas a todas estas pequenas questões que eu tinha: “Como isto funciona? Como aquilo funciona?” Eu sabia que eu seria reencarnado.

A Terra é um grande processador de energia, e a consciência individual evolui a partir disto em cada um de nós. Eu pensei em mim mesmo como um humano pela primeira vez, e eu estava feliz ao saber disto. Do que eu vi, eu estaria feliz em ser um átomo neste Universo. Um átomo. Assim ao ser uma parte humana de Deus – esta é a bênção mais fantástica. É uma bênção além de nossa mais extraordinária apreciação do que uma bênção possa ser. Para todos e cada um de nós ser a parte humana desta experiência, é surpreendente e magnífico. Todos e cada um de nós, não importa onde estejamos, confusos ou não, é uma bênção para o planeta, bem onde estamos.

Eu passei pelo processo de reencarnação esperando ser um bebê em algum lugar. Mas me foi dada uma lição de como a identidade individual e a consciência evoluem. Eu fiquei muito surpreendido quando abri os meus olhos. Eu não sei por que, porque o compreendi, mas era ainda uma grande surpresa estar de volta neste corpo, de volta ao meu quarto com alguém me examinando e o choro em seus olhos. Era a minha enfermeira. Ela tinha desistido uma hora e meia depois de ter me encontrado morto.Meu corpo estava duro e inflexível. Ela foi para o outro quarto. Então eu despertei e vi a Luz lá fora. Eu tentei me levantar para ir até ela, mas eu caí da cama. Ela ouviu uma forte pancada, correu e me encontrou no chão.

Quando eu me recuperei, eu estava muito surpreso e ainda muito admirado com o que me tinha acontecido durante a minha experiência de quase morte. Inicialmente toda a memória que eu tenho da viagem não estava lá. Eu continuava escapando deste mundo e perguntando: “Eu estou vivo?” Este mundo parecia mais um sonho do que aquele. Em três dias eu estava me sentindo normal novamente, mais lúcido, entretanto, diferente do que eu já sentira em minha vida. A minha memória da minha experiência de quase morte voltou mais tarde. Eu nada podia ver de errado com qualquer Ser Humano que eu já tinha visto. Antes disto eu era realmente crítico. Eu pensava que muitas pessoas estavam realmente erradas. De fato, eu pensava que todos estavam errados, exceto eu. Mas eu me libertei disto tudo.

Cerca de três meses depois um amigo disse que eu deveria ser radiografado, então eu fui escaneado e assim por diante. Eu realmente me sentia bem, assim estava temeroso de receber más notícias. Eu me lembro do médico na clínica observando as radiografias anteriores e posteriores e dizendo: “Bem, não há nada aqui agora”. Eu disse: “Realmente, deve ser um milagre.” Ele disse: “Não, estas coisas acontecem; elas são chamadas de remissões espontâneas.” Ele agiu com muita indiferença. Mas aqui era um milagre, e eu estava impressionado, mesmo que ninguém mais estivesse.

Durante a minha experiência de quase morte eu tive uma descida no que vocês poderiam chamar de Inferno, e isto foi muito surpreendente. Eu não vi Satã ou o demônio. Minha descida ao Inferno foi uma descida à miséria humana construída de cada pessoa, à ignorância e à escuridão do não conhecimento. Parecia uma eternidade miserável. Mas cada uma dos milhões de almas ao meu redor, tinha uma pequena estrela de Luz sempre disponível. Mas ninguém parecia prestar atenção a ela. Elas estavam muito consumidas com a sua própria tristeza, trauma e miséria. Mas depois do que parecia uma eternidade, eu comecei a evocar esta Luz, como uma criança que clama a um pai por ajuda.

Então a Luz se abriu e formou um túnel que veio direto até mim e me isolou de todo este medo e dor. É isto que é realmente o Inferno. Assim o que estamos fazendo é aprender a segurarmos as mãos, a nos unirmos. As portas do Inferno estão abertas agora. Nós nos conectaremos, daremos as mãos e sairemos do Inferno juntos. A Luz veio até mim e se transformou em um imenso Anjo Dourado. Eu disse: “Você é o Anjo da Morte?” Ele me expressou que era a minha alma suprema, a matriz do meu Eu Superior, uma parte muito antiga de nós mesmos. Então eu fui levado para a Luz.


Em breve a ciência quantificará o espírito. Isto não será maravilhoso? Nós estamos chegando com aparelhos agora que são sensíveis à energia sutil ou à energia do espírito. Os físicos usam estes desintegradores atômicos para romper os átomos para ver do que eles são feitos. Eles começarão a fazer isto com os quarks (uma das três partículas hipotéticas que constituiriam a base de todas as partículas atômicas conhecidas) e tudo isto. Bem um dia eles chegarão à pequena coisa que une tudo isto, e eles terão que chamá-la… Deus.

Nós já estamos começando a compreender que estamos criando também. Como eu vi, eu fui a um reino durante a minha experiência de quase morte, no qual há um ponto onde passamos por todo o conhecimento e começamos a criar o próximo fractal, o próximo nível. Nós temos este poder de criar, enquanto exploramos. E isto é Deus se expandindo através de nós.

Desde o meu retorno eu tenho experienciado a Luz espontaneamente,e tenho aprendido como chegar a este espaço quase que a qualquer momento em minha meditação. Cada um de nós pode fazer isto. Vocês não têm que morrer ou ter uma experiência de quase morte para fazer isto. Isto está em seu equipamento, vocês já são ligados para isto. O corpo é o Ser de Luz mais magnífico que há. O corpo é um Universo de Luz inacreditável. O Espírito não está nos impulsionando para dissolver este corpo. Não é isto o que está acontecendo. Deixem de tentar se tornar Deus; Deus está se tornando vocês. Aqui.

Eu perguntei a Deus: “Qual é a melhor religião no planeta? Qual é a certa?” E a Divindade disse, com grande amor: “Eu não me importo.” Esta foi uma graça inacreditável. Quando a Divindade disse: “Eu não me importo”, eu imediatamente compreendi que é para nós nos importarmos. Isto é importante, porque somos os Seres afetivos. Importa-nos e isto é onde é importante.

O que vocês têm é a equação da energia na espiritualidade. A Divindade não se importa se vocês são Protestantes, Budistas, ou seja o que for. Tudo isto é uma faceta exuberante do todo. Eu desejaria que todas as religiões compreendessem isto e se deixassem ser. Não é o fim de cada religião, mas estamos falando do mesmo Deus. Vivam e deixem viver. Cada uma tem uma visão diferente. E tudo isto contribui com a grande cena; tudo isto é importante.

Eu visitei o outro lado durante a minha experiência de quase morte com muitos medos sobre o lixo tóxico, os mísseis nucleares, a explosão demográfica, a floresta tropical. Eu voltei amando cada problema. Eu amo o lixo tóxico. Eu amo o cogumelo atômico; esta é a mandala mais sagrada que manifestamos até agora, como um arquétipo. Isto, mais do que qualquer religião ou filosofia na Terra, nos levou juntos, subitamente, a um novo nível de consciência. Ao sabermos que talvez possamos explodir o planeta cinquenta vezes, ou 500, compreendemos finalmente que estamos todos aqui juntos, agora.

Por um período eles tiveram que continuar a lançar mais bombas para que compreendêssemos. Então começamos a dizer: “Nós não precisamos mais disto”. Agora nós estamos realmente em um mundo mais seguro do que já estivemos, e ele ficará mais seguro. Assim eu voltei da minha experiência de quase morte amando o lixo atômico porque ele nos uniu. Estas coisas são muito importantes. Como Peter Russell poderia dizer, estes problemas estão agora da “condição da alma”. Nós temos as respostas da condição da alma. “SIM”.

O desmatamento da floresta tropical se desacelerará, e em cinquenta anos haverá mais árvores no planeta do que em um longo tempo. Se vocês estão na ecologia, continuem com ela; vocês são esta parte do sistema que está se conscientizando. Continuem com ela com todo o seu poder, mas não fiquem deprimidos. Isto é parte de uma coisa mais ampla.

A Terra está no processo de se domesticar. Ela nunca mais será um lugar tão selvagem como foi uma vez. Haverá grandes lugares incivilizados, reservas onde a natureza florescerá. A horticultura e as reservas serão as coisas no futuro. O aumento da população está ficando muito próximo ao limite ótimo da energia para provocar uma mudança na consciência. Esta mudança na consciência mudará a política, o dinheiro, a energia.

Depois de morrer, passar por minha experiência de quase morte e voltar, eu realmente respeito a vida e a morte. Em nossos experimentos do DNA, podemos ter aberto a porta para um grande segredo. Em breve seremos capazes de viver contanto que queiramos viver neste corpo.

Após viver 150 anos aproximadamente, haverá uma percepção intuitiva da alma que vocês gostarão de mudar os canais. Viver eternamente em um corpo não é tão criativo quanto a reencarnação, quando transferimos a energia neste vórtice fantástico de energia em que estamos. Nós veremos realmente a sabedoria da Vida e da Morte, e a apreciaremos.

Este corpo, em que vocês estão, tem estado vivo eternamente. Ele vem de um Fluxo da Vida interminável, voltando ao Big Bang e além.

Este corpo dá vida à próxima vida, em energia densa e sutil.

Este corpo esteve sempre vivo.

Nunca devemos desistir dos nossos sonhos nem das nossas vidas sejam quais forem as circunstâncias.


Muita Paz Amor

Read Full Post »

Dia da Terra

Hoje peço Vos que parem olhem a Vossa volta e pense se não poderiam fazer muito mais pelo Planeta que habitam do que fazem pequenos gestos que todos juntos tem um significado enorme e gigantesco na qualidade de vida de cada um de nós, de novo chegará o tempo em que todos precisaram de um pedaço de terreno para cultivar a sua comida para que possa ter possibilidade de comer porque aquilo que hoje temos como certo comida no supermercado pronta a consumir sem ser cultivada segundo padrões de qualidade necessários vai deixar de existir quer acreditem quer não.

Temos de voltar ao ponto em que realmente vivemos em profunda harmonia com a natureza e a terra….em que realmente somos UM Só. Adiram as campanhas que tentam a todo custo salvar zonas do planeta como Amazonas .

Amazónia Sempre

Muita Paz Amor e Luz

Read Full Post »

:: Graziella Marraccini :: yoga_sonhos

Mesmo uma viagem longa começa com o primeiro passo. Se ficarmos inertes, esperando e sonhando alcançar uma meta, não conseguiremos chegar a lugar nenhum. Nestas ultimas semanas estivemos envolvidos pela mídia com os assuntos inerentes à cassação do Senador Renan Calheiros.

Não pretendo fazer política, mas sim oferecer reflexões a respeito desse fato. Muito li e muito ouvi a respeito desse assunto (até a exaustão!) e as opiniões foram, em sua maioria, de maior repudio e indignação diante um fato tão vergonhoso que envolve a maior instituição política do país, o Senado, instituição essa que deveria nos representar de maneira digna e honesta e cujos representantes deveriam defender os interesses dos Estados, nossos interesses, os interesse de todo o povo brasileiro. Estudei desde o primário a historia da Roma e da Grécia antigas, e ainda revejo, em minha mente, as imagens do senado romano com aqueles senadores envoltos em suas togas brancas (imaculadas!) debatendo os assuntos de interesse da política romana e procurando agir com ética e moral.

Não estou afirmando que todos eles, esses senadores romanos fossem honestos, mas pelo menos, pareciam ser! A honestidade não é inata em todo ser humano, pois faz parte daquele cabedal de qualidades que adquirimos ao longo das encarnações. No entanto, eu creio que ela pode e deve ser adquirida se pretendemos evoluir nesta nossa encarnação aqui na terra. Nossos políticos nem se importam de ‘parecer honestos’ já que a honestidade não faz mais parte de seu vocabulário! O que me espanta ainda mais é a inércia do povo que, anestesiado sob o efeito do trânsito de Netuno sobre o ascendente do Brasil, cruza os braços e se refugia em devaneios e sonhos sem fazer absolutamente nada de concreto!

Poucos meses antes da reeleição do Presidente Lula, publiquei no STUM um artigo intitulado: ”O Brasil está doente?” onde procurava refletir sobre essa apatia que invade o nosso povo nestes últimos anos. Eu sou da opinião que não faz nada, quem não reage, também é conivente com essa situação que está aí. No entanto, todos nós pensamos mais no nosso ego do que no ‘bem comum’, ou seja, focalizamos nosso umbigo e nos esquecemos do TODO! È claro que quando temos atribulações familiares, doenças, problemas financeiros, problemas afetivos, etc., temos a tendência a nos focalizarmos no assunto que mais nos angustia e nos esquecemos que, para mudarmos nosso estado de coisas, precisamos nos afastar, ver o problema de mais longe, ou seja, de fora da Terra! Sempre que um grave problema nos afligir, podemos recuar, recuar com a imaginação, subir ao céu, voar até Marte (por exemplo) e olhar o nosso lindo planeta lá de longe. Veremos que nosso problema se tornará ínfimo diante da imensidão do Universo. Como já afirmei em vários artigos, nosso ego é alimentado pelos conselhos de Lúcifer. Lúcifer, o Anjo caído, fala aos nossos ouvidos e nos impele a agir somente em benefício próprio.

Esse é seu papel. Mas sua ação não é de todo maléfica. Explico: se Lúcifer nos incita a agir em nosso próprio beneficio, buscando uma melhora financeira (por exemplo), podemos usar então essa nossa condição mais prospera (quando a conseguirmos) para ajudar os menos favorecidos. Dessa forma estaremos entrando no fluxo da Lei do Retorno, ou seja, estaremos colocando nosso pequeno grão de arroz numa grande panela para que, juntamente com os grãos colocados ali por outras pessoas, possamos fazer um prato bem farto que alimente a todos aqueles que precisam. Podemos agir assim em relação a todas as coisas de que necessitamos: se precisarmos de amor, devemos primeiramente conseguir amar (a nós mesmos e aos outros) e então conseguiremos ser amados, e depois devemos compartilhar esse amor com aqueles que não recebem amor nenhum! Se desejarmos que os outros ajam de maneira honesta, devemos primeiramente agir de forma honesta nós mesmos, e devemos usar o comportamento ético em qualquer ação de nosso dia-a-dia. Em relação ao nosso planeta, para conseguirmos ajudar a Terra a superar esse momento de transformação global, temos a obrigação de fazer nossa parte, nos consciencializando para agir de forma sustentável, pois sabemos que nossa ação irá acarretar uma série de reações em cadeia. Se a ação for benéfica, irá ocasionar benesses, se ela for maléfica, ocasionará destruição. Esta semana, em conexão com a energia astral gerada pelo inicio do Ano Novo Judaico, e pelo inicio da Primavera no nosso Hemisfério (Ingresso do Sol em Libra) podemos aproveitar para efectuar uma transformação global, seja no microcosmo que no macrocosmo. Escaneando com nossos olhos essas três letras do alfabeto hebraico (da direita para a esquerda): Estaremos focalizando uma energia transformadora que, ao se fixar em nossa mente nos ajudará em nossa tarefa.

O nome do Gênio cabalístico é ASALIAH, e seu salmo de oração é o 103. Uma boa semana a todos! Aqui hoje agora que comecamos um noco ciclo e uma nova Era…junte-se a nos.

Muita Amor Paz e Luz!!!

Read Full Post »

KUAN YIN

kuan-yinAnunciadora da era de Aquário

Kuan Shih Yin Tzu Tsai, significa “a soberana que se preocupa com os sons do mundo”.

É o Bodhisattwa Celestial da Compaixão, é a Mestra da Hierarquia Divina que trabalha na freqüência da Compaixão e Amor Incondicional. Bodhisattwa é um ser humano que atingiu o estado de perfeição e ascensão, tendo se libertado da roda da reencarnação e do ciclo de samsara (ciclo de reencarnações sucessivas visando o aprendizado e ascensão do ser, relacionados a leia do carma- ação e reação).

Pode-se descrever Kuan Yin como a personificação da aspecto Yin da Criação; a Mãe Divina que ama incondicionalmente seus filhos, apesar de toda e qualquer falha, sem julgamentos e discriminações. De acordo com a lenda, ela parou no umbral do céu para ouvir os clamores do mundo.

Kuan Yin já era adorada na China antes do advento do Budismo, passando a ser adotada pelos budistas como uma encarnação de Avalokitesvara (Padmapani) kuanyin No Ocidente acabou por se tornar conhecida como a Deusa da Misericórdia. Segundo a tradição, Kuan Yin teria encarnado como a terceira filha de Miao Chuang Wang, identificado como sendo da dinastia Chou, governante de um reino do norte da China, por volta do ano 696 A.C..

De acordo com a lenda, ela se determinara a seguir uma vida religiosa, tendo se recusado a casar, apesar das ordens do seu pai, e das súplicas dos seus amigos. Aí, por ordens do seu pai, foi submetida às mais árduas tarefas, que de forma alguma enfraqueceram o seu zeloso amor por Deus.

Enraivecido pela sua devoção, Miao Chuang Wang (seu pai), ordenou que fosse executada, mas quando a espada a tocou partiu-se em mil pedaços. Seu pai então ordenou que fosse asfixiada, mas quando a sua alma deixou o seu corpo, e desceu até o inferno, transformou-o num paraíso. Transportada numa flor-de-lótus até a Ilha de P’ootoo, próxima a Nimpo, aí viveu durante nove anos, curando os enfermos, e salvando marinheiros do naufrágio. Certa vez, quando soube que seu pai estava muito doente, cortou um pedaço da carne dos seus braços, e usou-a como um remédio que lhe salvou a vida.

Em gratidão, ele ordenou que uma estátua fosse erigida em sua honra, comissionando ao artista que a representasse com ‘olhos e braços completamente formados’. Entretanto, o artista compreendeu mal, e até hoje Kuan Yin algumas vezes aparece representada com ‘mil braços e mil olhos’, sendo capaz, dessa forma, de olhar e cuidar de todo o seu povo. Kuan Yin fez o voto do bodhisattva, de trabalhar junto às evoluções deste planeta e deste sistema solar para lhes mostrar o caminho dos Ensinamentos dos Mestres Ascensos.

Ela diz que enquanto houver uma única alma sofrendo na Terra, Ela estará presente! Foi a antecessora de Saint Germam como Chohan do Sétimo Raio (o Raio Violeta), cujo cargo ocupou durante dois mil anos, e serve como a representante do Sétimo Raio no Conselho do Carma. Kuan Yin é a hierarca do Templo da Misericórdia, situado no plano etérico sobre a cidade de Pequim, na China, desde onde focaliza a chama da misericórdia e do perdão para os filhos da antiga terra de Chin, e as almas da humanidade. A chama da misericórdia é o meio pelo qual o Cristo intercede em prol daqueles que não conseguem suportar o impacto total do seu próprio retorno de carma, requerindo, desta forma, um intermediário que se interponha entre a sua criação humana e a Grande Lei.

Num ditado comunicado por intermédio de Elizabeth Clare Prophet, no dia 10 de Abril de 1974, Kuan Yin descreveu a ação da chama da misericórdia que ela personifica: “Supliquei por muitos de vós diante dos Senhores do Carma, para que tivésseis uma oportunidade de reencarnar, de nascer perfeitos, sem o grande carma de ser aleijado ou cego de nascimento, que alguns de vós merecíeis. Intercedi com a chama da misericórdia a vosso favor, de forma que pudésseis buscar, na liberdade de uma mente e de um corpo sadios, a Luz da lei…

A ação do perdão representa a colocação do carma de lado, a diminuiçâo do carma por um período de tempo, para dar à pessoa a oportunidade de encontrar a Deus, de encontrar ao Espírito Santo, de abraçar o Cristo como o Salvador”. É assim que kuan Yin ensina a humanidade não-ascensa a invocar a lei do perdão, e explica que quando o indivíduo alcança uma certa mestria na Senda, então a lei da misericórdia lhe faz retornar o ‘pecado’ que fora colocado de lado, de forma que o indivíduo possa experimentar a alegria de equilibrar cada jota e til da energia mal-qualificada, cumprindo, portanto, a lei do seu próprio ser.

Kuan Yin aparece nas nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos. Você se importa pelos sentimentos dos outros? Ou não se interessa? O que lhe afasta da compaixão? Você é daquelas pessoas que fere antes de ser ferida? Tem medo de abrir seu coração? Por seu Amor á humanidade Ela doa sem julgar, e por isso muitos milagres são atribuidos a Ela. Tem especial atenção à mães e crianças, sendo responsável pelo nascimento de inúmeras crianças cujos ventres maternos considerados impossíveis de “dar a luz”. O mantra de Invocação à Kuan Yin é “Om Mani Padmi Um”: Salve a Jóia na Flôr de Lótus.

Trouxe para a Terra o Magnified Healing ®, através de canalização, uma técnica de cura que tem por objetivo transformar a humanidade, no sentido de retirar o ser humano de seu sofrimento. Nos presenteia incessantemente com Seu perdão e transmutação do carma. Com Kuan Yin, os milagres estão na Terra!

Texto retirado do site .

Muita Paz Amor e Luz

Read Full Post »

Older Posts »