Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘crianças indigo’

natal_presente

por Celia Fenn

Educar uma criança Índigo ou Cristal é um privilegio especial nestes tempos de turbulência e mudança. Como um pai ou mãe, tu estás a contribuir para a fundação de novos padrões de educação de crianças no planeta. Estás a emparceirar com a tua criança para elevar a ressonância da relação entre pais/criança para o mais alto nível possível nestes tempos. A criança Índigo ou Cristal veio ao planeta com a sua própria “missão”. Como um Índigo está aqui para desafiar formas e crenças existentes, e como um cristal está aqui para ensinar amor e o reconhecimento de plenos poderes. Vocês, como pais, são os parceiros nesta missão de ensinar e curar. Podem ajudar a vossa criança a realizar a sua missão começando por compreender o que é necessário de vocês. Como pais de um Índigo, podem esperar ser desafiados a cada esquina, mas tendo as técnicas para lidar com estes desafios vai-se criando uma relação mais fácil entre vocês e a vossa criança Índigo. Como pais de uma criança Cristal, vão ter de lidar com uma força de vontade muito forte e lutas de poder freqüentes.

De novo, tendo as técnicas educativas para lidar com estes assuntos vai facilitar o crescimento e o desenvolvimento da vossa criança. O Paradigma Velho de Educação O Paradigma velho de educação simplesmente não trabalha com os Índigos e Cristais. E isto é esperado. Eles estão aqui para desafiar o paradigma velho e substituí-lo por um melhor. Por isso a maneira como vocês foram educados não irá trabalhar com eles. Vocês não podem repetir os vossos próprios padrões de educação – quer conscientemente ou subconscientemente.

 Como pais de uma Nova Criança, vocês teem de tornarem-se conscientes do padrão particular de educação que escolheram. O velho paradigma era baseado na sua maior parte em Poder e Medo. Os pais viam a criança como uma responsabilidade que tinha de ser assumida, e o cargo dos pais era ter a certeza que a criança era sustentada materialmente, educada e transformada em um adulto, tal como todos os outros adultos. A criança foi criada a temer castigos e a ver os pais, professores e outros adultos como figuras de poder. A criança foi ensinada por estas figuras de poder a aceitar as normas da sociedade, mesmo que estas fossem contra as suas inclinações naturais. Os pais e assistentes domiciliários viam o controlo da criança como o seu dever. Eles tinham então o direito a castigar a criança, até com violência, se esse controlo ( geralmente em forma de regras e proibições) fosse desafiado ou ignorado.

 O objectivo das regras e proibições era para assegurar que a criança “pertencia” ou conformava-se com a sociedade. Pais do Estilo Velho frequentemente dizem coisas como “Tu vais fazer isso porque eu digo que vais, e eu sou o teu pai/mãe”, ou “tu vais fazer isso porque é o que toda a gente faz”. Os pais do Estilo Velho são Autoritários, e exigem obediência e respeito baseado na autoridade investida nesta relação de criança/pais. Neste sistema de crença, os pais são tomados como “donos” da criança e teem o direito de exigir obediência. Os pais acreditam saber mais e serem mais sábios, e por isso teem o direito de exigir certos padrões de comportamento e escolher a vida da “sua” criança.

O Paradigma Novo de Educação O paradigma novo de educação é baseado no Amor e é derivado do Centro do Coração. Neste novo paradigma, cada criança é vista como uma dádiva e privilégio. Educar é visto como uma experiência do coração, em que ao adulto é dada a tarefa de educar e assistir uma alma nova acabada de chegar ao Planeta. Esta tarefa é uma associação, em que os pais e criança partilham à aventura de criar uma experiência consciente de crescimento e aprendizagem dentro dos parâmetros educativos da relação. Neste modelo de educação baseado no coração, a criança é vista pelo que é – uma alma altamente evoluída e desenvolvida.

Esta alma Índigo ou Cristal tem a sua própria sabedoria para transmitir ao mundo, e o cargo dos pais é frequentemente o de ajudar essa criança a trazer a mensagem ao mundo. Para fazê-lo assim é necessário que a criança seja amada e educada, e encorajada a expressar ao máximo o que é que elas são e ser-lhes dada a oportunidade de desenvolverem o seu potencial total num ambiente afectuoso. De maneira a ser este tipo de pais ou assistentes domiciliários, qualidades tais como Amor, Tolerância, Respeito e Aceitação Incondicional teem de fazer parte das técnicas básicas de educar e de vocação social. Os pais também precisam de aprender e perceber as técnicas de Negociação, Comunicação e Disciplina.

AMOR Esta é A técnica de educação mais importante de todas elas. E a maior parte das pessoas imagina que “vem naturalmente”. Mas frequentemente, os pais reproduzem o seu próprio paradigma de educação já aprendido sem verdadeiramente pensarem se vem do coração ou não. Efectivamente, vocês não podem respeitar e amar a vossa criança senão se amarem e respeitarem a vocês próprios. E tantos de nós crescemos com mensagens tais como “não és bom/boa o suficiente”, que criaram auto-estima baixa e dificuldades com amor próprio e auto-aceitação. Qualquer pessoa que trabalha com crianças vai ter de vigiar a maneira como os seus problemas não resolvidos de auto-aceitação possam ser projectados na criança. A criança depois pode ser vista como “mal comportada” ou “ingovernável” ou “fora de controlo”, ou qualquer número de rótulos de “não ser bom/boa o suficiente”. Igualmente, as hostilidades e cóleras não resolvidas de um pai ou mãe são frequentemente reflectidas de volta a estes pelo comportamento da criança. Frequentemente uma criança irritada e temperamental está a representar os sentimentos reprimidos do pai ou mãe. É difícil criar uma criança Índigo ou Cristal a não ser que tenhas resolvidos os teus problemas e sejas capaz de te amar a ti próprio (a), de reconhecer os teus plenos poderes e de expressares o teu potencial total. A tua Criança Índigo ou Cristal vai ser o/a teu/tua professor (a) principal, se de facto ainda não tiveres resolvido estes problemas.

VAIS aprender a reconhecer os teus plenos poderes e a dar-te valor – á medida que eles te ensinam as técnicas. Mas é muito mais fácil se já tens estas técnicas, assim educar a tua criança torna-se uma aventura partilhada de crescimento empossado.

ACEITAÇÃO INCONDICIONAL

Esta é frequentemente uma das coisas mais difíceis para os pais. Frequentemente o orgulho dos pais exige que a criança viva á altura de certas expectativas ou que desempenhe certos cargos. Mas as crianças Índigo ou Cristais teem o seu próprio ser definido e o seu próprio sentido de quem é que são. Isto é muito claro para eles. E ás vezes este sentido de quem eles são pode estar directamente oposto aos desejos e necessidades dos pais. Quando isto acontece, requer um pai ou mãe muito especial para conseguir dizer: ”Eu te aceito pelo que és”, e “tu não tens de ser como eu.”. Um pai ou mãe inseguro pode tomar essa precisa diferença entre ele (a) e a criança como uma ameaça, e exigir que a criança se conforme. Mas os pais Novos permitem que a criança desabroche e seja o que é, até mesmo encorajando aspectos do ser da criança que podem ser estranhos à sua maneira própria de pensar ou ser, se é aí que estão os talentos da criança. Os Novos pais também aceitam que á medida que uma criança cresce e passa pela adolescência e idade adulta, que pode escolher não seguir o caminho de carreira “seguro” e “responsável” que os pais podem desejar. O Índigo pode desejar ser criativo, ou de viajar pelo mundo e ver a vida, em vez de ir para o colégio e seguir um caminho de vida definido.

Os Novos Pais vão ter de perceber que os Índigos e Cristais vêem a vida como uma criação contínua, aonde eles são livres para se “reconstruir” sempre que lhes apetecer, à medida que seguem as suas paixões. Eles provavelmente não teem interesse nenhum em serem seguros e cautelosos, mas antes em serem apaixonados, criativos e divertidos. Isto não quer dizer que eles não vão criar abundância. Frequentemente os adultos Índigo criam o mesmo nível de abundancia que os pais antes de eles terem trinta anos. Mas eles fazem-no com meios invulgares e criativos.

RESPEITO

Isto está intimamente ligado à aceitação incondicional. Se os pais podem aceitar quem e o que a criança é, então baseado nesta aceitação pode ser construído um respeito mutuo por cada um. Este respeito mutuo é a fundação/base necessária em que a relação pais/criança será construída. Muitos pais do Estilo Velho vêem crianças como inexperientes e razoavelmente estúpidos até que possam ser ensinadas por adultos experientes e mais sábios. Os Novos Pais estão conscientes que a sua criança é um ser evoluído num corpo pequeno, e há uma troca mutua de ideais e experiências nesta relação.

Os pais ensinam à criança/alma as técnicas de sobrevivência que precisa para a vida no planeta neste momento. A Criança ensina aos pais novas perspectivas sobre a vida vindo da sua ligação mais próxima com o mundo espiritual. Este respeito mutuo significa que cada um de vocês vai permitir o outro ser o que é, sem necessidade de critica ou hostilidade se houver diferenças. De facto, os Novos pais vão ver estas diferenças como algo para ser celebrado à medida que começamos a perceber a imensa diversidade e possibilidade inerente na vida humana que existe no planeta hoje.

TOLERÂNCIA

Este tópico está relacionado com os dois acima também. Se existe aceitação incondicional, amor e respeito mútuo no lar, então também ira existir tolerância pelas diferenças e necessidades diferentes de cada pessoa na família. Esta tolerância pode depois ser alargada à sociedade mais ampla fora de casa. Se ensinares à tua criança que te aceitas a ti próprio (a), e que as aceitas a elas, então é mais provável que elas transfiram este padrão para o contacto com crianças e pessoas diferentes que conhecem na escola e em situações sociais. Esta tolerância por outros e aceitação de outros faz parte da missão das crianças Índigo e Cristais, e vai ajudar a criar um mundo aonde existe tolerância e aceitação de todos. Os Novos pais vão mostrar à sua criança que eles podem relacionar-se com ”diferentes” pessoas, com respeito. E que eles podem honrar as diferenças e celebrar a diversidade, em vez de se sentirem ameaçadas e terem medo como muitos pais do estilo velho tinham. A eficiência dos aspectos mencionados acima no Paradigma Novo de Educação, frequentemente encontra-se na habilidade dos pais de partilhar técnicas de vida com a criança. Isto é feito de maneira mais eficaz com as técnicas de Comunicação, Negociação e Disciplina.

COMUNICAÇÃO

Comunicação com a tua criança é um dos meios-chave com que podes mostrar amor e respeito. O acto de comunicar é um acto de receber e de dar. A pessoa que comunica está a dar e a partilhar idéias e a pessoa que ouve está a receber essas idéias. Os dois processos são “activos”, em que receber ou “ouvir” é também uma habilidade. Como pais, deviam adiantar-se além de dar ordens e instruções que esperam que a vossa criança obedeça e receba sem duvidar. E acima de tudo nunca deviam perder a calma e gritar no processo de comunicar com a vossa criança. O uso de cólera e de violência na comunicação apenas ensina a criança que para conseguir o que pretende tem de fazer mais barulho e ser o mais agressivo. De igual modo, castigos físicos ensinam a criança que para obteres o que queres (obediência), tens de ser agressivo e violento. Estes padrões de comunicação serão interiorizados e podem depois ser exteriorizados quando a criança interage com crianças da mesma posição social. Crianças cristais especialmente, estão aqui para experimentar poder, e se, aprenderem de ti que violência é igual a poder, então elas vão representar isto. E frequentemente contra ti. Então é muito melhor, ensinar a tua criança a comunicar eficientemente, mas com respeito. E aqui a chave é para os dois participantes OUVIREM o que o outro tem a dizer. E no acto de ouvir realmente receber e perceber o que o outro sente e precisa. Comunica com a tua criança sobre os assuntos familiares que o/a afetam. Não assumas que só porque elas são pequenas que teem apenas de seguir o que queres. As crianças teem necessidades emocionais que deviam ser tomadas em consideração quando se tomam decisões que afetam toda a família.

NEGOCIAÇÃO

Negociação faz parte do processo de Comunicação. Se tu queres que a tua criança siga certo caminho ou faça certas coisas, então vais ter de lhes explicar porque é que precisam que eles se comportem assim. Os Índigos e os Cristais não estão interessados em ordens autoritárias, mas eles ouvem se falares calmamente e negociares o que tu queres. Se o que tu queres não os atrai particularmente, é possível negociar uma recompensa para eles fazerem o que tu pedes. Sendo assim existe uma situação de “ganha/ganha”, aonde os dois participantes ganham alguma coisa que querem. A técnica aqui não é manipulação, embora pais de Índigos espertos vão ter de estar alerta para que a sua criança não se torne manipulativa. Em vez disso, é chegar a um lugar de conforto mutuo, onde os dois participantes estão de acordo e contentes com o que tem de ser feito. Por exemplo, se arrumar brinquedos é um problema, negocia com a criança que se todos os brinquedos forem arrumados todas as noites por uma semana, então no fim-de-semana, um divertimento pode ser oferecido. Se não, não há este divertimento. A maior parte das crianças aceitará uma proposta como esta, em vez de ter a mãe continuamente a gritar porque é que os brinquedos não estão arrumados (bem, porque as crianças Índigo e Cristais teem coisas mais importantes e imaginativas para fazer do que arrumar brinquedos).

DISCIPLINA

Embora esta tenha sido deixado para ultima, é geralmente o tópico mais emotivo nas minhas discussões com os pais. Se se dá ou não “dá tarefas” como castigo, ou para impor fronteiras. Eu acredito em não usar violência, sempre. Isto apenas ensina à criança que violência é um instrumento para obter o que tu queres. No entanto, eu também acredito que o conceito de “disciplina” é pouco percebido na nossa sociedade. É equiparado a regras, regulamentos e castigos. Realmente, a palavra “disciplina” partilha a mesma raiz do que a palavra “discípulo”, e tem a ver com ensinar e aprender. E o/a professor(a) mais eficaz não é aquele que grita e é violento, a não ser que estejas no exército. Na vida normal, o acto de ensinar é mais eficaz quando vem do coração e é transmitido de uma maneira afável e atenciosa. As crianças precisam de saber aonde as fronteiras estão, e o que é esperado delas no contexto da família. Isto ajuda a assegurar uma sensação de segurança que encoraja um comportamento calmo. Mas esta informação pode ser transmitida de uma maneira terna e serena, usando as técnicas de comunicação e negociação. As técnicas de comunicação e negociação fazem verdadeiramente parte da técnica de disciplina. A vossa responsabilidade como pais é de ensinar a vossa criança – dando o exemplo e por palavras – o que é necessário deles para se tornarem adultos afectuosos que reconhecem os seus plenos poderes. Tu és o/a professor(a), e eles são os discípulos. E ás vezes, eles são os/as professores(as), e vocês, como pais, são os discípulos. Deixem a relação entre vocês ser tão afectuosa e educativa como a de Cristo com os seus discípulos.

______________________________________________________________________ As perguntas e respostas que seguem são extraídas do livro Crianças Índigo de Teresa Guerra, onde encontrará toda a informação que necessita para responder a todas as suas questões.

• O que é uma criança Índigo?

o As crianças índigo possuem uma estrutura cerebral capaz de utilizarem simultaneamente as potencialidades do hemisfério direito e do hemisfério esquerdo, isso significa que elas conseguem ir muito mais além do plano racional e intelectual, desenvolvendo capacidades espaciais, intuitivas, criativas e espirituais, por isso elas necessitam também de um ambiente propício para poderem desenvolver todas as suas potencialidades ajudando-nos num futuro próximo a mudar muita coisa que precisa ser mudada no mundo em que vivemos, nomeadamente a diminuir a distância existente entre o pensar e o agir.

o O “fenómeno Índigo” nasceu a partir da cor índigo que aparece associada à mente (chacra frontal) e à espiritualidade (aura de cor índigo). Segundo alguns autores, as crianças índigo estão envolvidas por uma aura azul-índigo! Nancy Ann Tappe, nos anos 80 observou que inúmeras crianças apresentavam esse tipo de aura e tinham características algo semelhantes. Na última década dos anos 90, dois autores norte-americanos Lee Caroll e J. Tober publicaram o primeiro livro sobre “As Crianças Índigo”. o A partir de então muito se tem falado destas crianças que cada vez em maior número (neste momento 90 % das crianças que nascem já trazem características Índigo, Cristal, Violeta ou outras…) estão a invadir o nosso planeta e apresentam as seguintes características: Inteligentes, sensitivas, intuitivas, com tendência hiperactiva, perceptivas, compreendem facilmente as leis universais, são muito criativas e possuem uma memória privilegiada (por vezes falam de vidas passadas com toda a naturalidade) e são dotadas, como referem alguns autores, de uma espécie de “inteligência espiritual”. Quando o assunto não lhes interessa podem apresentar características de défice de atenção, mas se, pelo contrário, algum tema lhes desperta a atenção, entregam-se apaixonadamente e passam horas atentas e envolvidas em novas descobertas.

o Vários autores referem que podem distinguir-se 4 tipos de crianças índigo: as humanistas (líderes), as conceptuais (cognitivas ou intelectuais), as artistas (portadoras grande sensibilidade e intuição) e as interdimensionais (globalmente sobredotadas mas com potencialidades espirituais invulgares). •

 o • Que características apresentam as Crianças Índigo e as Crianças Cristal? o Crianças Índigo Crianças Cristal Espírito Guerreiro que rompe com os sistemas estabelecidos Espírito Pacificador Pacificadores Meta:

 Abrir caminhos

 Denunciar

 Não aceitam o que já não serve agora

 Aversão à mentira, falsidade e manipulação

 Meta:  Continuar o caminho começado pela geração índigo

 Construir com energias mais subtis

  Têm uma força interior extraordinária para conseguirem elevar o nível de frequência energético da sociedade

Especialidade:  Denunciar  Provar os limites físicos

Especialidade:  Liberdade através do exemplo  Provar os limites psíquicos

Personalidade:  Em geral são extrovertidos  Pioneiros são originais, auto-suficientes, criativos, bastante autónomos  Determinação, tenacidade  Muita energia e não mostram medo em enfrentar as coisas e as pessoas

 Personalidade Cristal:  Mais calmos, pacíficos e gentis. No geral um pouco introvertidos  Ainda mais espirituais  Ainda mais telepáticos  Ainda mais sensíveis Formas de conduta:  São crianças exigentes q não se cansam de pedir coisas  Não tem medo da confrontação  Rebelde Formas de conduta:  Diz o que precisa em poucas palavras mas com profundidade, e só quando lhe pedem  Irradia paz e tranquilidade  Harmoniza naturalmente a energia que o rodeia  É muito afectuoso com as pessoas e percebe as suas necessidades  Cala-se e retira-se se há conflitos, evita as confrontações Características físicas e outras  Robustos fisicamente  Fortes mentalmente Características físicas e outras  Menos robusto física e mentalmente  Vulnerável emocionalmente  Habilidades psíquicas activadas desde o seu nascimento  Por vezes sofre com alergias, é mais delicado Podem diagnosticar-lhes erradamente:  ADD (Défice de Atenção)  ADDH (Défice de atenção com hiperactividade) Podem diagnosticar-lhes erradamente:  A doença de Aspergers uma forma ligeira de autismo comum na profissão de programadores, informáticos e engenheiros de sistemas  Autismo  Ser considerado uma criança desconectada, desligada É precoce em começar a falar Pode ser que comece a falar tardiamente em geral quando começam a entender que os adultos não entendem a linguagem telepática Necessidades em geral:  Alimentar os seus talentos de pioneiros e de lideres  Ferramentas de organização do trabalho  Aprender a diplomacia e a cortesia Necessidades em geral:  Utilizar e nutrir as suas habilidades e os seus talentos de pacificadores  Técnicas de limpeza energética e psíquica sensível  Intercâmbio de energia com a natureza •

 o • Desde quando começaram a aparecer no planeta?

o Não é a primeira vez que o planeta assiste à chegada de consciências que trazem características diferentes do habitual que põem em causa as culturas instaladas. Poderíamos enumerar uma quantidade delas, que desde há muito, vêm surgindo aqui e ali para nos abrirem um pouco a porta do conhecimento, na maior parte das vezes, foram perseguidos, mal entendidos, na época em que viveram, e até, alguns chegaram a ser mortos. Tudo isto só porque apresentaram comportamentos diferentes e formas de pensar que punham em causa as instituições e organizações políticas ou religiosas vigentes. Temos, por exemplo: Pitágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, Jesus Cristo, Leonardo da Vinci, Gandhi, Shweitzer, Einstein e muitos outros….Eles surgiam para ajudarem a que a mudança fosse algo possível de acontecer e com a sua coragem e determinação se abrissem caminhos novos e diferentes. Graças a eles a humanidade foi dando os seus passos no sentido de romper com velhas tradições de pensamento e culturas. • o • Como identificar as Crianças Índigo? o Propomos que façam um pequeno teste às vossas crianças para poderem identificá-las, ou não, como crianças índigo. Este teste (embora com algumas adaptações) é apresentado por Lee Carroll no seu livro As Crianças Índigo.  Trata-se de uma criança muito intuitiva (parece adivinhar as coisas) e traz consigo, desde a nascença, uma certa realeza comportando-se como tal?

  Sentem que merecem estar aqui e admiram-se quando outros não os reconhecem. Revelam-se bastante sensitivos (parecem observar, ver, ouvir e detectar acontecimentos, objectos e situações aparentemente impossíveis)?

 São muito sensíveis à música, à pintura, às paisagens grandiosas e sublimes, ao belo?

  Dizem, com naturalidade aos pais quem são e donde vêm e alguma vez referiram ter falado com anjos, Deus, extraterrestres ou outras entidades?  Preocupam-se muito com questões humanitárias, a fome, as guerras, os problemas ambientais, com os animais abandonados ou maltratados?

 Gostam de ver programas sobre História, Religião e Arte na TV ou na Internet?

 Sentem-se frustrados com sistemas que obedecem a rituais e sem criatividade, apresentam outras formas de fazerem as coisas, tanto em casa como na escola, o que os torna rebeldes ou simplesmente desinteressados?

 Costumam desenhar figuras exóticas, seres extra-terrestres, figuras estranhas?

 Apreciam conversar sobre Deus, o princípio do Mundo, a Vida, os OVNIS, etc?

 Parecem ser anti-sociais, e, por vezes a escola é o local onde lhes é muito difícil socializar. Apreciam a solidão. Gostam de se fechar no quarto para ficar sozinhos?

  Têm dificuldade em aceitar uma autoridade absoluta. Falam ou escrevem sobre assuntos que parecem não ser para a sua idade e formação? o Se respondeu SIM a mais de 4 perguntas…esteja mais atento ao seu filho ou educando, porque poderá estar perante uma criança índigo, por isso tente retirar dele mais informações, mas proceda com carinho e amor verdadeiro, porque estas crianças, devido à sua sensibilidade e capacidades extrasensoriais, apercebem-se facilmente das suas intenções, sobretudo se estas não foram para seu bem. Como sabem elas trazem consigo um verdadeiro detector de mentiras e, intuitivamente, lêem os pensamentos das pessoas com quem tratam. • o • Qual a educação mais adequada para estas crianças e jovens? o Em primeiro lugar é fundamental que exista para a criança uma só escola e uma só educação. O complexo processo educativo, para atingir os seus plenos objectivos deve fazer um compromisso com todos os seus intervenientes que em conjunto devem-se envolver em uníssono: pais, professores, alunos. Todos têm que ter consciência de três verdades insofismáveis:

  O potencial humano é muito superior àquilo que nos convenceram. (Einstein desenvolveu, apenas, entre 5 e 10% das capacidades do seu cérebro….)

 A educação deve ser adquirida naturalmente e com prazer, porque educar sem prazer é deseducar e é como um dia sem sol.

  A educação e a aprendizagem são o único motivo que nos trouxe a este planeta, por isso, deve ser feita com esmero. o Um sistema de educação alternativo e muito conhecido é o da pedagogia Waldorf que explica de uma forma harmoniosa a relação existente entre o processo íntimo do desenvolvimento da criança e do jovem e as modificações sofridas pelo homem em sua evolução histórica, pois ajuda a criança a passar por um processo evolutivo de crescimento, amadurecimento e consciencialização progressivos até atingir a maturidade. Para isso promove um acompanhamento adequado com respeito pela sua individualidade e criatividade, para que floresça e desabroche livremente em todas as suas vertentes. •

 o • Existem no nosso país escolas adequadas a estas crianças? o Existem muito poucas escolas com pedagogias adequadas e preparadas para promoverem uma educação adequada a estas e muitas outras crianças. o Em Portugal existem algumas poucas escolas com pedagogia Waldorf mas encontram-se sem vagas.

o Existe ainda uma Escola Montessori para crianças de 1 a 6 anos de idade, contacto 21 456 4733. • o • Serás tu um Índigo adulto? o Se quer saber se é um índigo adulto analise as afirmações que se seguem

:  São muito criativos ainda que na escola não tenham tirado as melhores notas.

 Têm algumas características que fazem parte de crianças índigo.

 Apresentam alguns problemas de concentração e atenção (Sintomas de Desordem de falta de Atenção. Podem apresentar problemas para se concentrarem nas suas tarefas. Podem saltar de tema nas conversas (palestras, dissertações, etc.)

 Têm uma verdadeira empatia por algumas pessoas e sentem-se bem com pessoas que tenham a sua vibração, mas têm, também, uma profunda intolerância pela estupidez.

 São muito intuitivos, muito criativos e desfrutam fazendo coisas, mesmo que espalhem tudo à sua volta como um caos, sentem-se bem assim…mesmo que os outros reclamem da desordem.

 É difícil para eles fazerem um trabalho repetitivo e obrigatório e sobretudo na escola recusavam-se a fazê-lo.

 Vivem em constante mudança e têm, ainda hoje, problemas com a autoridade. Rejeitam, muitas vezes, a autoridade do professor ou mesmo dos pais quando procuravam impô-la. Questionaram-na e continuam questionando a autoridade.

 Aprendem rapidamente e quando acham que já sabem o suficiente aborrecem-se e desinteressam-se pelos assuntos?

  Se uma coisa ou um tema lhes interessa põem aí toda a sua atenção e não se importam de estar horas a fazer o mesmo.

 Na escola parecia que tinham “picos” e não paravam quietos, quando a matéria não lhes interessava, não lhe servia para nada ou achavam que já sabiam o suficiente sobre o assunto.

 Por vezes mostra ser extremamente sensíveis, ou emocionalmente instáveis, chorando ao mínimo motivo (sem protecção). Ou podem mostrar uma certa falta de emoção (protecção completa).

 Por vezes revoltam-se com certas coisas ou pessoas, parecendo que têm problemas com a Ira.

 Não compreendem e até se revoltam, ou irritam com os chamados sistemas ineficazes que consideram caducos: sistema político, educativo, médico, jurídico, etc.

 Sentem uma verdadeira irritação e ira quando privam dos seus direitos e detestam que os observem ou controlem os teus passos, ficam irritados quando alguém está sempre a observá-los e a criticá-los.

 Procuram o significado da vida e sentem uma vontade grande de mudar ou até melhorar o mundo aderindo, por vezes, à espiritualidade, a alguma religião ou a grupos ou livros de auto-ajuda.

 Tiveram alguma experiência psíquica, premonições (ver anjos, seres extrafísicos, fantasmas…) experiências fora do corpo, ouvir ruídos ou vozes, etc.

 É sensível à electricidade e por vezes os relógios não funcionam, as lâmpadas apagam-se quando passa por baixo deles, os aparelhos eléctricos funcionam mal ou queimam-se fusíveis ou rebentam lâmpadas…

 Já, alguma vez, tiveram consciência da existência de outras dimensões, de extraterrestres ou da existência de outras realidades paralelas.

 São muito expressivos sexualmente, mas também podem recusar a sexualidade por aborrecimento ou para conseguirem uma ligação espiritual mais elevada. Podem explorar tipos alternativos de sexualidade.

 Tiveram poucos ou nenhum exemplo índigo para imitar.

 Se conseguem encontrar o seu equilíbrio podem transformar-se em indivíduos muito realizados, fortes, sãos e felizes.

Muita Paz Amor e Luz

Read Full Post »